Associação Brasileira de Desporto para Deficientes Físicos Associação Brasileira de Desporto para Deficientes Físicos ABDDF
Página Institucional

HISTÓRIA DO FUTEBOL DE AMPUTADOS NO BRASIL / ABDDF

A Associação Brasileira de Desportos Para Amputados, fundada em 24 de agosto de 1990, com sede e fórum na cidade de Niterói-RJ e tendo como 1º presidente o Sr.João Batista Carvalho e Silva, é uma sociedade sem fins lucrativos, de caráter desportivo, tendo como fundadores as seguintes associações e seus respectivos estados: ANDEF – Associação Niteroiense dos Deficientes Físicos (Niterói-RJ), ACPD – Associação Capixaba de Pessoas com Deficiência (Espírito Santo), CEDE – Clube Esportivo dos Deficientes (Curitiba-PR), AMP – Associação Mineira de Paraplégicos (Belo Horizonte-MG), ADEFAL – Associação dos Deficientes Físicos de Alagoas (Alagoas), APPD – Associação Paraense de Pessoas com Deficiência (Belém-PA) e CADEF – Clube dos Deficientes Físicos


COMO TUDO COMEÇOU

A Copa do Mundo de Futebol para Amputados foi criada em 1987 pela Ampute Soccer Interntional, com sede em Seatle (EUA). Dois anos depois, o Brasil já participava pela primeira vez do evento, competindo com as equipes da Inglaterra, El Salvador, Rússia, Guatemala, Canadá e Estados Unidos.

O primeiro time de futebol de amputados do Brasil foi formado pela Associação Niteroiense de Deficientes Físicos (Andef) em 1986. A primeira competição da categoria no país foi em Linhares (ES), naquele mesmo ano. Apenas duas equipes competiram com times mistos de portadores de deficiência.

Outros times foram se formando. Em 1989, o Brasil participou do seu primeiro Mundial, em Seatle (EUA), onde conquistou o 3º lugar no campo e na arena.

A Associação Brasileira de Desportos para Deficientes Fisicos (ABDDF) foi fundada em 24 de agosto de 1990, com o objetivo de representar e dirigir as atividades do segmento nacionalmente.

João Batista de Carvalho e Silva, que formou o primeiro time de futebol de amputados do país, foi também o primeiro presidente da ABDA. Ele priorizou a ampliação do número de equipes, de jogadores e a melhoria do preparo físico dos atletas.

A ABDA organizou o Campeonato Brasileiro da categoria e os campeonatos regionais. Hoje, o Brasil tem nove equipes de futebol de amputados em atividade.


REGRAS

• Futebol para amputados é disputado em campo de futebol society, com dimensões mínimas de 60mX38m 

• Cada equipe tem sete jogadores 

• O goleiro e amputado de um dos braços 

• Todos os atletas de linha são amputados de uma das pernas 

• As partidas são divididas em dois tempos de 25 minutos com intervalo de 10 minutos 

• Os técnicos podem pedir um tempo de um minuto para orientar seus atletas a cada etapa da partida 

• A muleta não pode tocar na bola de forma intencional 

• O goleiro não pode sair da área 

• O tiro de meta não pode ultrapassar o meio campo 

• O lateral é cobrado com o pé 

• Não há limite para substituições 

• Os jogadores substituídos podem voltar ao jogo 

• As demais regras não diferem das utilizadas pelo futebol tradicional